I'm Brazilian, I've always loved music and since I was little I buy and I listen to rock.
During the 70's I met a magazine called Pop, which I christened German Pop, since it was of Germanic origin, I did not understand what was written in the great majority, but it was there that I met the groups that I publish here on the blog today. Rock made in Germany is one of my favorites, but my taste is very eclectic.

Sou brasileira, sempre amei música e desde muito pequena compro e ouço rock. Durante os anos 70 conheci uma revista chamada Pop, que batizei de Pop Alemã, uma vez que era de origem germânica, eu não entendia o que estava escrito na sua grande maioria, mas foi ali que conheci os grupos que hoje publico aqui no blog. O rock feito da Alemanha é um dos meus favoritos, mas meu gosto é muito eclético.

sábado, 5 de dezembro de 2015

Amos Key (Muenchen-Kraut) 1973.Keynotes


A little-known band, of whom we know nothing historically. Amos Key were one of the few early German bands to play a fiery classical rock with such creativity and invention, and even paralleled the excellence of the Italians. Much more so than fellow organ-rock pioneers Sixty Nine, Amos Key owed great debts to Bach, Beethoven and Schumann, adding a heavy Krautrock twist to a music more closely resembling Egg or The Nice, full of angst and weird psychedelic and space-rock touches.

Thomas Molin (keyboards, vocals), Andreas Gross (bass, guitar, vocals), Lutz Ludwig (drums)


Yandex

2 comentários:

Andreas M. Gross disse...

Muito obrigado Krautrock Maniac – estou contento ver e ouvir a nossa musica no website de você. Parabéns. Sou Andreas (Bass, guitar, vocal) de Amos Key, moro en Munique, Alemanha. Faz 39 anos que ya não sou músico activo, mais não faz mal. Faço outras coisas interessantes agora. – Uns 42 anos depois da primeira publicação de nosso material fico muito feliz com a atenção que gosta nossa musica, chamada "CLASSIC ROCK" nesse tempo (o termino "Prog Rock" não existia então), da gente no internet e você.
Ainda existe o LP en venyl de Spiegelei / intercord, mais no mercado teve un CD Pirata que fui feito sem direito nenhum – e obviamente sem pago a Thomas Molin (keyboards, vocal) e/ou a mim, os credores de nosso material en todos os sentidos. Tenho o CD, mais ten vários problemas ténis y nã tem un sonido bom. O lateral no website de você ten uma qualidade melhor. Fosse interessante si você usava o CD, ou a LP o teve outro material para a sua publicação de Amos Key? Thomas Molin infelizmente ya morreu 20 anos atrais, Lutz Ludwig vive e fica en Munich também e o Helmut Jungkunz (tocava o violão en 1975 no segundo LP não publicado) fica ainda muito activo como musico semi-professioal aqui na mesma cidade de Munich. Abraço de Munich, Bavaria – and thank for keeping our sounds alive! Andreas (ointzen@gmx.de)

Márcia Tunes disse...

Andreas, olá! Sou Marcia dona do blog, sempre fui completamente apaixonada por musica. Há alguns anos criei o Contramão outro blog dedicado a todo tipo de som que amo, mas desde 2013 resolvi criar um blog dedicado ao som realizado em seu país, admiro muito o som feito na Alemanha nos anos 70 principalmente, me sinto honrada com sua visita e comentário. Obrigada! O álbum publicado aqui eu consegui ripando um lp de amigo.